Tudo Novo

02/01/13 17:00
 
Imprimir esta pagina
Texto 
Tudo Novo

Você está satisfeito com seu trabalho? Essa é uma das grandes dúvidas quando se chega à casa dos trinta e, para muitos, essa resposta é negativa. Quando se chega à conclusão de que se nasceu para outro tipo de carreira, ou que seu talento está sendo desperdiçado na sua atual empresa ou ocupação profissional, não há como fugir, é preciso tomar uma atitude.

Para José Carlos Ignácio, consultor empresarial e autor do livro “Todo relacionamento entre sócios pode ser melhorado”, são vários os motivos que levam a essa crise da mudança de emprego. “Primeiramente, é preciso destacar a questão do sistema universitário, que trata o vestibular como uma escolha de profissão, o que se torna muito suscetível ao fracasso, pela falta do conhecimento vocacional e falta de maturidade, em segundo lugar, a questão da procura pelas profissões da moda e que atraem mais dinheiro, o que em longo prazo pode não ser uma escolha acertada”, ressalta.

O consultor explica que a soma desses fatores leva a um processo que desgasta a auto-afirmação, a auto-motivação e a realização, que só se torna perceptível aos trinta, quando já se passou da fase de trabalhar apenas para sobreviver e passa a levar em conta a realização. É nesse momento, em que a realização entra em cheque, que surgem as dúvidas de carreira e o momento para repensar a sua trajetória.

Mudar de carreira é uma decisão que não deve ser tomada de um dia para o outro. Iniciar uma nova trilha profissional pode ser o caminho adequado para muitos profissionais que não encontram satisfação e sucesso naquilo que fazem. No entanto, é preciso muita cautela para avaliar se esta é apenas uma vontade momentânea, causada por problemas na empresa ou até mesmo por um projeto que não deu certo, ou se realmente este momento merece atenção e investimento.

Ignácio ressalta que é necessário traçar um plano de transição e um plano de formação, e se perguntar: “para onde quero ir?” É preciso ter essa resposta bem clara, para evitar problemas no decorrer do caminho, acredita. “É preciso imaginar o dia a dia da outra profissão, já que as pessoas costumam idealizar a atividade futura. Também é importante não se esquecer do planejamento para as dificuldades materiais. O que se deve levar em conta são os aspectos interior e prático: interior com a questão de realmente saber o que você quer; a questão prática se resume às questões financeiras”, conclui.


Comentários

  • [31/01/2013]

    Antonio

    Muito bom. Acho que deveria ter mais artigos neste sentido. Obrigado!

  • [31/01/2013]

    Vivian Mario

    Gostei da matéria e concordo plenamente com tudo.

  • [31/01/2013]

    Marcelo Fernandes

    Consistentes colocações, parabéns!!!!!

  • [31/01/2013]

    Thiago de Aguiar Barbosa

    Muito bom o tema. Mas uma questão resta ser esclarecida: Qual a "linha de corte" em matéria de idade para realizarmos uma mudança de carreira? Haja vista que a cada dia o mercado se torna mais exigente quanto a idade limite do candidato a uma vaga de emprego.


Envie seu comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Ticket e Gestão. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.




Contador de páginas