Mantendo o padrão nas franquias

10/02/14 09:47
 
Imprimir esta pagina
Texto 
Mantendo o padrão nas franquias

Os padrões pré-definidos para manter uma franquia existem para formalizar elementos que levam o negócio ao sucesso. Na prática isso serve para manter a qualidade dos produtos e serviços e proporcionar ao cliente o mesmo tratamento, em qualquer unidade onde ele estiver gerando força no relacionamento e fidelizando os consumidores. A padronização serve ainda para manter a autenticidade da rede como um todo e sua identidade nas cidades em que está inserida.
Para garantir que os padrões sejam seguidos, o franqueador deve, em primeiro lugar realizar uma boa avaliação do perfil do empresário disposto a abrir a franquia da marca. Além disso, é importante oferecer suporte e orientações de forma intensa e também monitorar as operações dos franqueados. Nesta relação, o empreendimento deve ser encarado como o produto enquanto as franquias e franqueados os clientes mais imporantes.
Em contrapartida, o franqueado deve ter disponibilidade para conversar e aceitar as imposições referentes aos aspectos físicos e as condições de administração, relação com o público e materiais utilizados antes mesmo de abrir a franquia para não ter problemas por fugir aos padrões da matriz.
A falta de padronização nas franquias causa a quebra de expectativa do cliente que busca determinado tipo de produto ou serviço e não encontra em todas as unidades. É comum a decepção também com a queda de qualidade ou variação de preços de uma unidade para a outra. Isso tende a manchar a reputação da rede.
Manter o mesmo padrão em todas as unidades agrada ao público e ajuda e o empresário pode utilizar da boa reputação de toda a rede em benefício do seu marketing, reduzindo custos e esforços do franqueado.

Ações para unificar padrões
A rede de escolas de idiomas inFlux English School possui hoje 105 unidades franqueadas em todo o país. Para avaliar se o discurso da franquia está alinhado com as diretrizes da rede, a escola adotou uma estratégia chamada de Cliente Oculto.
Por meio da ação, realizada com o consentimento dos franqueados, mas sem que eles saibam que estão sendo avaliados, membros de uma equipe entra em contato com as unidades duas vezes ao ano como se fossem alunos interessados, permitindo a franqueadora identificar se alguma franqueada está com o discurso desajustado do da rede e, desta forma, oferecer treinamento para ajudá-la.
Ricardo Leal, diretor presidente da inFlux, garante que a ação é bem vista pelos franqueados, que enxergam no Cliente Oculto uma forma da franqueadora acompanhar e dar suporte na gestão do negócio.



Envie seu comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Ticket e Gestão. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.




Contador de páginas