Como elaborar um pitch irresistível?

04/08/15 10:12
 
Imprimir esta pagina
Texto 
Como elaborar um pitch irresistível?

Todo investidor sabe que um pitch bem estruturado pode ser o diferencial de uma startup na hora da negociação. Por isso, seguir alguns passos pode fazer a apresentação se tornar mais dinâmica e interativa, e como consequência, agrada os compradores da ideia. 

De acordo com o sócio da empresa Publicidade Popular, Jonathan Souza, um bom pitch pode ser a única chance para uma startup dar certo, e portanto, existem elementos fundamentais para se ter um bom desempenho. 

Primeiramente, é necessário ir direto ao ponto, o pitch deve ser conciso e preciso. Você pode ter uma apresentação de 30 minutos, mas também ela deve ter uma versão curta de 5 a 7 minutos, nunca se sabe o tempo que o investidor estará disposto e disponível para ouvi-lo”, explica ele. 

Além da objetividade, outro ponto fundamental para um pitch atraente é saber quem é o público-alvo da ideia. Souza ressalta que é importante ter este ponto claro e muito bem definido, pois investidores não gostam de entrar em mercados que já existem muitos concorrentes e que precisam captar clientes que já foram captados. 

Por fim, o último passo é analisar o número de benefícios em comparação ao número de problemas do próprio negócio. Isso acaba evitando que os pitches tornem-se apresentações maçantes e baseadas somente em números. O profissional alerta ainda sobre o cuidado que deve ser tomado com a aparência do apresentador, que caso não seja tomado, pode afastar a atenção dos investidores.
Um bom pitch prende a atenção, e este é o propósito de uma apresentação ideal. E a partir do momento que o investidor está interessado na maneira em que o pitch é exibido, as chances de aprofundar a conversa até uma reunião são grandes”, conclui Souza. 

CASOS QUE DERAM CERTO 

Muitas empresas consagradas atualmente começaram com a apresentação de um bom pitch. É o caso da Evino, que atua na área de e-commerce de vinhos no Brasil. O cofundador da empresa, Ari Gorenstein afirma que não existe um pitch ideal, mas que ele deve ser retrabalhado à medida que o negócio evolui para traduzir o contexto atual. 

Um pitch bem executado, que evidencie o domínio e segurança do empreendedor sobre seu negócio certamente reforça a autoridade de seu apresentador e o credenciará para a sequência da discussão e para as longas sessões de questionamentos que poderão suceder a apresentação”, ressalta o profissional. 

Já para a Co-CEO e fundadora da empresa Natue, Priscila Capellato, o pitch deve ser inspirado na tradicional “conversa de elevador”. Ela explica que é necessário gastar algum tempo pensando nos diferenciais, no que é o coração da empresa e como comunicar isso de maneira efetiva, simples e em pouquíssimo tempo. 

Acho importante pensar no investidor como um parceiro. A relação de investimento envolve muito mais do que apenas o aporte de capital. O empreendedor deve entrar nas reuniões com a mentalidade de achar o melhor parceiro e para entender se essa relação pode ser saudável para o crescimento do negócio”, conclui a CEO.



Envie seu comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Ticket e Gestão. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.




Contador de páginas