Uso consciente

03/12/14 10:34
 
Imprimir esta pagina
Texto 
Uso consciente

O e-mail marketing é uma técnica usual entre empresas para promover a marca através do correio eletrônico, de maneira simples e mais econômica. Entretanto, caso a imagem da mensagem seja algo que não se adeque aos pensamentos dos clientes, o e-mail marketing pode acabar se tornando prejudicial às corporações.

O business coaching da ActionCOACH, Robson Dal Bó, explica que para incrementar o número de clientes, é imprescindível que as empresas atuem nas duas variáveis que as influenciam: aumentar o número de prospectos e a taxa de conversão para os consumidores.

“O e-mail marketing é uma boa estratégia para incrementar os números de prospectos do negócio. Normalmente de baixo custo, é efetuada de maneira errada pelas empresas. Por conta deste despreparo, é necessário entender as técnicas em que a ferramenta é usada para atingir altos resultados, fazendo o bom uso dela”, conta ele.

Para Bó, os principais erros que são encontrados nas mensagens são a falta de técnica que desperte interesse no e-mail, a repetição com títulos e imagens complexos e o descuido de preparar um e-mail que possa ser um Spam.

Apesar de parecer uma forma simples de divulgação, os e-mails marketings não acabam gerando lucros sozinhos. Eles são uma forma de chamar a atenção para uma ação maior, sendo essas as verdadeiras fontes de renda. Como exemplos mais usuais, pode-se evidenciar links visitar um site, inscrever-se para um e-book, cadastrar-se para um seminário ou contatar um profissional para esclarecimentos.

Segundo Bó, muitas empresas que enviam e-mails marketing acabam permanecendo passivas, aguardando que o cliente chegue até a empresa. “É imprescindível a monitoração dos resultados de e-mails marketing que estão sendo entregues, e ainda mais, quais clientes que chegaram até a empresa são resultados da ferramenta”.

O LADO DOS CLIENTES

Como saber o que pensam os clientes a respeito do e-mail marketing recebidos? De acordo com Bó, uma analogia a se fazer é observar o comportamento como recebedor de e-mails.

“É necessário se lembrar de que qualquer um é cliente. A empresa precisa se focar em estar “antenada” com o avanço da tecnologia dos provedores e antivírus. Se quem envia os e-mails é um usuário, e existe uma pequena possibilidade da mensagem ser suspeita de vírus, ela acaba evitando abri-lo. Portanto, é preciso evitar que o e-mail marketing tenha estas brechas”, conclui o business coaching.



Envie seu comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Portal Ticket e Gestão. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.




Contador de páginas